Qual a origem da inteligência artificial?

A inteligência artificial é um termo extremamente popular nos dias de hoje que vem sendo explorado cada vez mais, e sempre que falamos sobre a IA, geralmente lembramos dela sendo aplicada em filmes como o clássico “A.I – Inteligência Artificial”, “Ex-Machina”, “Eu,Robô”, “Bladerunner 2049”, “Bloodshot”,” Free Guy – Assumindo o controle” e por aí vai. 

Temos centenas de exemplos de filmes, séries ou jogos que abordam esse universo cada vez mais presente dentro do nosso cotidiano, se tornando tão comum nas nossas vidas como uma mangueira de incêndio. 

Mas, quem olha os filmes e também observa a inteligência artificial atual sendo aplicada em grandes indústrias, em processos dentro da empresa auxiliando nos setores comerciais e financeiros, na medicina, na educação e por aí vai, nem imagina que esse é um conceito bem mais antigo do que parece.

Muitas pessoas acham que a inteligência artificial é algo recente, criada junto com esses filmes do final dos anos 90 e começo dos anos 2000, mas na verdade, sua origem é bem mais antiga do que isso. 

O que acha de fazer uma viagem no tempo e descobrir um pouco mais sobre a origem da inteligência artificial? Bora descobrir um pouco mais sobre ela? Então vamos lá!

O que é a inteligência artificial?

Antes de explicarmos sua origem vamos falar resumidamente, o que a inteligência artificial significa, para quem não sabe, o seu desenvolvimento foi planejado para replicar pensamentos e ações humanas na execução de alguns processos e tarefas dentro das mais diversificadas áreas como no setor da saúde e da educação. 

Dessa forma, a inteligência artificial é uma tecnologia que procura se adaptar aos pensamentos humanos, e replicá-las para executar determinadas atividades, funcionando praticamente como um “robô”, que possui vida própria, se adapta aos padrões e executa tarefas mais manuais. 

O intuito da sua criação foi melhorar e automatizar os processos manuais, trazendo mais praticidade, conforto e aceleração dentro do nosso cotidiano, assim como um filtro prensa faz no tratamento de efluentes. 

O mais interessante é que, mesmo trazendo praticidade, a IA pode substituir algumas atividades humanas, mas na maioria dos casos, ainda é preciso ter uma pessoa que “ligue o botão” e gerência para aproveitar sua máxima efetividade. 

Quando ela surgiu?

Falando sobre o conceito, ele parece algo extremamente novo, desenvolvido no máximo no final dos anos 90, certo? Errado, na verdade em 1943 Warren McCulloch e Walter Pitts realizaram o primeiro artigo que explora temas como redes neurais e estruturas de raciocínios artificiais. 

Porém, foi em 1950 que o lendário  matemático Alan Turing desenvolveu uma máquina que conseguia se passar por humano em uma conversa escrita, existe até um filme chamado “O jogo da imitação” baseado justamente neste caso em específico. 

Após 6 anos, em 1956, foi dado o pontapé inicial para que a IA fosse fundada e oficializada, o marco zero foi a conhecida Conferência de Dartmouth, onde estavam presentes além de Turing, outros pesquisadores como Marvin Minsky, John McCarthy, Allen Newell e Herbert A, nessa conferência foi definido o conceito e o propósito de desenvolver máquinas inteligentes. 

Depois dessa primeira formalização, diversas novas invenções e descobertas começaram a ajudar no seu crescimento, entre as principais, temos o ano de 1964 onde foi criado o primeiro chatbot da história conhecido como ELIZA. 

Sua função era realizar conversas de forma totalmente automática, comandada totalmente por códigos, dados e algoritmos que eram baseados em palavras-chave pré determinadas, que buscavam imitar o comportamento dos psicanalistas.

A IA no mundo atual

Quem diria que a origem da inteligência artificial fosse tão antiga? Já são mais de 60 anos que ela está entre nós, e é claro que teve muitos altos e baixos durante sua longa história, os anos 80, por exemplo, foram marcados por anos sem muita movimentação dentro deste segmento. 

Atualmente, a IA é extremamente popular, sendo tão usada quanto o vidro termoelétrico em buffets e restaurantes, estando presentes em nossas tarefas cotidianas, nas corporações, indústrias e em nossas vidas de forma geral. 

O que achou do texto de hoje? Deixe sua opinião nos comentários abaixo e não se esqueça de compartilhar com seus amigos e familiares caso tenha gostado do conteúdo, até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

+ 23 = 25